Três Lagoas nos últimos anos vem sendo conhecida como a capital da celulose, onde tem uma das maiores empresas do mundo, mas mesmo assim a tradição do local a Pecuária ainda continua de pé, e foi assim que mostrou a equipe do Katayama Pecuária, que esteve em uma de suas fazendas na região do Campo Triste que fica no Distrito de Arapuá no Município de Três Lagoas nesta sexta-feira (16) de Março de 2018.

O Dia de Campo contou com palestras sobre o programa de seleção de animais jovens utilizado pela Katayama, novilhas para precocidade sexual e os impactos produtivos e econômicos em sua seleção. Uma nova ferramenta que aumenta o rendimento da fazenda, em visita em campo, os técnicos demonstraram na pratica, um processo de seleção no melhoramento genético, onde foi feita uma amostra do gado da fazenda, direcionado para o trabalho de precocidade sexual que foi o grande foco do encontro, encurtando o ciclo de produção.

Cerca de 200 pessoas estiveram no evento que contou com as cidades de Mato Grosso do Sul – Três Lagoas, Campo Grande, Corumbá, Miranda, Água Clara, Inocência e Ribas do Rio Pardo. E das cidades Paulistas – Querência, Bilac, Presidente Prudente, Piquerobi, Dracena, Adamantina, Guaraçaí, Mirandópolis, Araçatuba, Andradina, da capital São Paulo e do país vizinho Bolívia.

Dia de Campo Fazenda Katayama (20)Transmitido ao vivo pelo Canal do Boi, as 9h e 30min, o apresentador do canal deu início ao evento, onde Keishi Katayama agradeceu a presença de todos e começou a contar a história que em 1983, enviou seu primogênito Gilson num intercambio no EUA, onde ele não tinha domínio sobre a língua, ficando um ano no país, onde aprendeu a falar inglês fluentemente. Já em 1990, Gilson viaja a província de  Okayoma, local de origem de seus avós no Japão, onde ficou por mais um ano, onde aprendeu algumas palavras em japonês, já nessa época a granja Katayama era muito conhecida no Brasil, e Gilson queria fazer algo diferente, e propagar seu nome e assim lhe entreguei o setor da Pecuária em seus comandos em 1991, nessa fazenda havia 1.800 cabeças, onde meu filho fez uma grande mudança, diminuindo mais de 800 cabeças, naquela época achei loucura, disse Keishi, e após 20 anos a pecuária Katayama esta conhecida em todo o Brasil. Em 2011 meu outro filho Gilberto escolheu a Ovinocultura após muita pesquisa e estudo na África, e assim ele está dando seguimento a uma nova área no ramo, mais ainda não tem cabeças suficiente para leilão, mas a cada dia vem crescendo. Graças ao trabalho de nossos técnicos, a granja Katayama é a única do Brasil a exportar ovos para o Japão, Dubai e Argentina, e hoje temos grandes mercados em nossas mãos, finalizou Keishi.

Dia de Campo Fazenda Katayama (95)Gilson Katayama, falou do início do Katayama, no noroeste do interior de São Paulo, onde meus avós tiveram 10 filhos, na época já tinham uma pequena granja,  e meu pai engenheiro mecânico, teve sua primeira olimpíada pôs guerra, e no retorno do Japão, empreendeu uma empresa de refrigeração, onde em seguida passou a dedicar a granja, que continua até os dias atuais, com grande desenvolvimento de tecnologia de ponta, sendo uma das melhores produtoras de ovos do Brasil. A pecuária veio na reserva de valores (poupança), que existia naquela época, e era assim que enxergávamos tudo da sobra da avicultura, investíamos na pecuária, está fazenda do Campo Triste, foi comprada em 1980, e com a genética aplicada na avicultura, sentíamos a necessidade de uma melhora na pecuária, onde pensávamos no aumento de produtividade, e assim chegamos na melhora da genética, começamos todo o trabalho da Katayama Pecuária, trabalho esse que vocês vão ver neste Dia de Campo, hoje a pecuária tem uma grande  competitividade aqui na região o eucalipto e no interior de São Paulo, a cana e soja, e assim temos que provar a rentabilidade, não só na genética, com no investimento na fazenda com pastagem rotacionada, nesta fazenda temos 154 hectares, onde no inverno chega o sequestro de gado, na suplementação com confinamento e rodízio de piquetes, com isso conseguimos elevar o rendimento anual da fazenda, diz Katayama.

Dia de Campo Fazenda Katayama (178)Em seguida os convidados tiveram visitas ao campo, onde a equipe técnica demonstrou na pratica a melhora da genética e a precocidade sexual, novilhas que empenharam com 12 meses de idade, uma realidade que pode ser vista neste evento, um grande avanço do melhoramento genético, do nelore que o Katayama vem desenvolvendo no serrado, uma região de terras mais fracas, mas que tem potencial quando bem trabalhado, com uma genética que se expressa aqui na região, explicou Octávio Silva – Gerente de Pecuária da Katayama.

A Katayama Pecuária teve um grande passo na pecuária Brasileira, com o processo de melhoramento genético e aumento da produtividade. Após mais de dez anos de investimentos em genética Nelore importada da Índia, berço do zebuno mundo. O Nelore POI que representam um novo momento da pecuária em termos de novas linhagens com características importantes de produtividade, como rusticidade, temperamento, refrescamento de sangue, precocidade sexual e conformação de carcaça.

A primeira geração de animais do Projeto Nelore JOP nasceu em 2012, tendo em torno de dois anos de idade. Os machos começam a ser utilizados nas fazendas dos parceiros do projeto. Na sequência, os touros de destaque terão genética repassada ao mercado. O Projeto Nelore JOP tem apoio da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) e segue todos os protocolos sanitários exigidos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento (MAPA).

O ArapuáMS, conversou com Gilson Katayama o anfitrião do evento, que muito contente agradeceu os convidados, e também com os técnicos Octávio Silva – Gerente de Pecuária da Katayama e Márcio Ribeiro Silva – Diretor da Melhore Animal Consultoria, confira a entrevista no vídeo abaixo.

E ainda acontece nesta tarde de domingo (18) o leilão virtual Katayama

katayama

Confira as fotos do evento registradas pelas lentes do ArapuáMS.