Confira as fotos da 2ª Caminhada pela valorização do Autismo em Três Lagoas

Um distúrbio que atinge milhares de pessoas. O Transtorno Espectro Autista vem sendo cada vez mais diagnosticado em crianças, adolescentes e requer muita atenção dos pais. Na manhã deste sábado (7), dezenas de famílias foram às ruas, no Centro de Três Lagoas, para participar da “2ª Caminhada pela Conscientização do Autismo”.

O objetivo é promover integração e levar informação sobre as pessoas que nascem com a síndrome, além de ser uma homenagem ao Dia Mundial da Conscientização do Autismo, que é celebrado no dia 2 de abril. A ação foi realizada pelo grupo “Fazendo a Diferença”, que reúne pais e filhos com autismo. Segundo a coordenadora  Nadir Vilalva, atualmente há 70 pessoas com a síndrome na cidade e que integram o grupo.

“O principal objetivo é trocar experiências, ajudar, orientar as famílias. Muitas pessoas não sabem como lidar a partir do momento em que descobre que o filho foi diagnosticado com a síndrome. E quanto mais cedo ocorrer esse diagnóstico, mais fácil será para o tratamento”, explicou.

Com faixas, cartazes, camisetas e balões na cor azul, os participantes aproveitaram a caminhada para distribuir panfletos informativos e também alertar à população sobre os cuidados para com os portadores do transtorno.  A manifestação chamou a atenção de quem percorria pela área central.

O grupo contou com o apoio da Polícia Militar e agentes de trânsito durante todo o trajeto, que iniciou na avenida Antônio Trajano e seguiu até a avenida Paranaíba, encerrando na praça senador  Ramez Tebet.

Apesar das dificuldades que alguns pais enfrentam com os filhos portadores de autismo, o professor Cláudio Lopes, pai do Rubens, de 6 anos, que possui o transtorno, afirma que somente o amor pode superar todas as barreiras. “É uma situação muito difícil. Por 30 dias após o diagnostico eu rejeitei o meu filho. Depois, o amor em meu coração falou mais alto. E, hoje, ele é a essência da minha vida”, declarou.

Autismo

O autismo apresenta sintomas básicos como: dificuldade de interação social; déficit de comunicação tanto quantitativo quanto qualitativo; padrões inadequados de comportamento que não possuem finalidade social. A criança que tem o Espectro Autista, é mais sensível que as demais. Alguns desenvolvem dificuldades para processar os estímulos externos.

Com Informações JpNews

Related posts

Carregando...