www.arapuams.com.br – Portal de Notícias de Três Lagoas e região
Image default

Policial militar ambiental mata esposa e assessor por suspeita de traição em Paranaíba

O policial militar ambiental Lúcio Roberto Cabral de 36 anos é suspeito de matar a tiros a esposa e um assessor de deputado estadual na noite deste sábado (05), em Paranaíba, a 407 quilômetros de Campo Grande. O policial teria agido por ciúmes, em razão de suposta traição da mulher, Regianni Araújo, de 32 anos, que foi morta na casa dos sogros, com três disparos.

De acordo com a delegada Eva Maira Cogo, da DAM (Delegacia de Atendimento à Mulher) no município, o PMA recebeu informações da esposa de Fernando Henrique Freitas de 31 anos de que ele estaria mantendo caso com Regianni. Ao tomar conhecimento, Lúcio estava na casa dos pais com a esposa e a questionou, mas ela negou.

Em seguida, ele foi armado para a casa de Fernando, no centro da cidade, por volta das 20 horas. A vítima dormia no sofá quando foi acordada com um chute, interrogada a respeito da traição e em seguida baleada cinco vezes. A esposa de Fernando estava com a filha pequena na frente da casa quando tudo aconteceu.

Após o primeiro homicídio, o PMA voltou para a residência dos pais. Lá, ele encontrou a esposa também no sofá e a matou com três tiros. “O pai dele estava na casa e tentou desarmá-lo, mas não conseguiu”, explicou a delegada. Depois de assassinar a esposa, Lúcio deixou a arma no imóvel e fugiu no carro do pai. Até o momento não foi encontrado.

O casal Regianni Rodrigues Araújo e Lúcio Roberto Queiroz da Silva, suspeito de ter matado a mulher e o suposto amante dela
Imagem: Reprodução Facebook

Ainda conforme apurado, Fernando também atuava como corretor de imóveis em Paranaíba. A delegada disse não ter confirmado a hipótese de Lúcio ter recebido possíveis prints de conversas entre Regianni e Fernando. “O PMA responde por feminicídio e por homicídio qualificado por motivo fútil e que dificultou a defesa da vítima”, pontuou Eva.

“Estamos todos muito chocados com tamanha monstruosidade. Ela fazia de tudo para manter o casamento. Era uma das melhores pessoas, não tinha coragem de matar uma formiga”, afirma a amiga da vítima, Lívia Nunes, 25. Regianni deixa dois filhos, uma menina de 15 anos, fruto de um relacionamento anterior e um menino de 7, filho do policial.

O corretor de imóveis também era casado e deixou uma filha de 1 ano. O suspeito fugiu de carro e até o momento não foi localizado.

O crime foi registrado como homicídio simples e feminicídio. O corpo de Regianni está sendo velado na casa de velório Pax Vida, em Paranaíba e o corpo deve ser enterrado no cemitério da cidade.

Por Midiamax

Veja também

Homens de Três Lagoas comparecem às unidades de Santo André e Vila Haro para cuidar da Saúde no Novembro Azul

admin

Três Lagoas se despede da enfermeira Maria de Freitas, um serviço humanizado em prol da população

admin

Em Três Lagoas, Carro bate em poste na Avenida Antônio Trajano

admin

MS EM CENA acontece em novembro e terá apresentação internacional

admin

Em Três Lagoas, Carreta do Hospital do Câncer estará na Clínica da Mulher a partir de segunda-feira (11)

admin

Seguidor do ArapuáMS registra Lobo Guará se alimentando de Jaca

admin