Três Lagoas foi a primeira cidade brasileira a homenagear Chico Xavier

Três Lagoas foi a primeira cidade brasileira a homenagear Chico Xavier

Luiz Corrêa da Silveira Filho - Três Lagoas /MS

A cidade de Três Lagoas sempre teve uma ligação muito forte com o médium mineiro Francisco Cândido Xavier. Desde o ano de 1957, Chico, de vez em quando, ia passar uns dias na fazenda do saudoso Thomé Arantes – que sempre a saudosa dona Romilda Arantes lembrava com muito carinho dessas visitas do querido amigo.

Chico Xavier, que completaria 107 anos no dia 2 de abril se estivesse entre nós, nasceu em Pedro Leopoldo (MG), em 1910, mas viveu grande parte de sua vida em Uberaba (MG).

Faleceu no dia 30 de junho de 2002 e, apenas sessenta e três dias depois, Três Lagoas já o homenageava, passando o nome da rua Amapá para Rua Francisco Cândido Xavier. Toda essa conquista foi graças à habilidade e capacidade política e profissional da então vereadora na época, Márcia Moura, ex-prefeita de Três Lagoas, que atendendo o pedido de seu amigo de infância, o Jornalista Luiz Corrêa da Silveira Filho, o Luizinho,  deu entrada ao processo na Câmara de Vereadores e persistindo na aprovação do projeto, conquistando com sucesso a aprovação por unanimidade e sancionada pelo ex-prefeito e saudoso médico, Dr. Issan Fares.

Com grande multidão e repercussão nacional foi realizado o evento de inauguração da rua Francisco Cândido Xavier. Márcia Moura foi representada pelo seu pai, coronel Moura e sua mãe. Desde então a casa-museu onde Chico Xavier  viveu vem sendo visitada por mais de 700 pessoas diariamente. A farta da documentação da rua está à mostra para todos que ali passam.

Documentação da Lei

 A Câmara Municipal votou por unanimidade o projeto de Lei de Nº. 55, de 2 de setembro de 2002, e no dia 11 do mesmo mês, a Lei de Nº. 1804 foi sancionada, passando  a se chamar Rua Francisco Cândido Xavier, localizada na Vila Haro, onde está situado o Grupo Espírita José Grosso e Maria João de Deus, esquina com a Rua Allan Kardec, fundado pelo saudoso advogado Dr. João Santana e sua esposa, pecuarista, artista plástica e advogada Drª Márcia Santana. A primeira ata do Centro Espírita, que foi lavrada em abril de 1994, tem como primeiras assinaturas Alécio Boletti, saudosa Edneia Azevedo, Cícero, Oswaldo Branquinho, Luiz Corrêa da Silveira Filho, Waldemiro Giachetta, saudoso Waldemar Amadeu Falco Filho (Mazinho) e outros.

Destacamos que quando foi fundado o Grupo da Fraternidade Espírita José Grosso e Maria João de Deus, Chico ficou muito feliz ao saber que a citada Casa Espírita tem o nome de sua mãe,  em 14 de dezembro de 1996.em sua residência Uberaba MG visita que o jornalista Luiz Correa e família fizeram ao médium mineiro.

“É uma casa que conta com muita proteção da espiritualidade. Quem frequenta o Grupo há mais tempo, já vivenciou várias situações que demonstram claramente a interferência dos Benfeitores espirituais”, afirma o Jornalista Luiz Corrêa, dirigente do Grupo José Grosso e Maria João de Deus, desde sua fundação.

Cartão postal 

Como parte de todas essas homenagens, foi lançado nacionalmente o  cartão  da  Rua Francisco Cândido Xavier pelo consagrado fotógrafo Mauricio Cardim,  reconhecido nacionalmente como o Fotografo das Estrelas. Maurício Cardim reside atualmente em Feira de Santana (BA).